terça-feira, 18 de novembro de 2008

Doçuras



Olho para ti com deleite
aproximo-me devagar
tocando-te as roupagens brilhantes
e sorrio docemente

sem te querer partilhar
trago-te para junto de mim
só nós dois, preparando-me
para um doce momento

prendo-te nas minhas mãos
acariciando-te adivinho
o teu interior
doce tentação
não controlada

dispo-te as vestes feéricas
aproximo os lábios
suavemente
absorvo o teu doce odor

a língua sedenta
não se acalma
enquanto não sentir
a tua doce harmonia

mordisco-te levemente
absorvendo o teu sabor
em breve os meus sentidos
explodem em doce esplendor

a tentação é demasiada
para me conter
devoro-te solenemente
devagar
docemente

e por fim na sofreguidão
do teu encanto agora derretido
que consumi por inteiro
cerro os olhos e penso apenas ...



"Adoro chocolate!"


(Nota: escrito após dois deliciosos quadradinhos de Cadbury Caramel. Nham!)

3 comentários:

Carlos Pinto Vinagre disse...

ah ah ah. Boa. Gostei. A um distráido, pode pensar outra coisa...

Maria Mourão disse...

Que doçura de poema

Paulo disse...

Lamentável...deplorável... ao que nós chegamos...trocados por pedacinhos de cacau doce... é o fim...

;) muito bom! Já reparaste no excelente anúncio televisivo que dáva?