sábado, 20 de dezembro de 2008

Não é possível

... obrigar o coração a sentir o que não quer.

Há pouco estava a ouvir esta canção



Tem passado na rádio, ouvi-a distraidamente no carro sem ligar muito à letra. Só que eu sou, de facto, uma pessoa que dá muito valor às letras das canções.
É talvez o meu mal; já me disseram "és muito emotiva": reajo à música. Mas talvez seja também o que me permite sentir a música de uma forma mais profunda, quando letra e melodia não se limitam a entrar nos ouvidos, ressoar no cérebro e sair de seguida sem deixar rasto.

Há letras/poemas que cravam as garras na carne, penetram até aos ossos, tangem uma corda na alma e passam de alguma forma a fazer parte de mim.

(...)
Running back through the fire
When there's nothing left to save
It's like chasing the very last train
when it's too late, too late

Oh it tears me up
I try to hold on, but it hurts too much
I try to forgive, but it's not enough
to make it all okay

You can't play on broken strings
You can't feel anything that your heart don't want to feel
I can't tell you something that ain't real


Esta, agora, mora cá dentro. Porque não é possível dizer ao coração o que deve sentir ...

7 comentários:

Canto Definido disse...

Nunca se é demasiado emotivo, comigo funcionam melhor as melodias, são muitas as várias sobreposições de sons que me arrepiam todo, algumas letras traduzem aquilo que sinto num determinado momento mas não assim tantas, acho que não tento me identificar com aquilo que os compositores escrevem, mas vocalizo facilmente todas as particularidades de cada faixa de cada álbum que conheço, também fica tudo cá dentro...

Paulo T Pires disse...

Tal como prometido, aqui estou...
voltarei com mais calma para preciar...

redjan disse...

... pois há letras que não nos largam mesmo... que parecem querer ser a nossa vida em certos momentos .... happens all the time .. I guess..

XR disse...

Há música que não precisa de letra para ressoar na alma, como a Cavalgada das Valquírias ... letras que não entendemos, como as dos Sigur Ros ou que passam rapidamente demais como a da Carmina Burana.
Cada uma delas transmite uma imagem em particular, uma sensação forte que não se apaga, sejam de ventanias insanas, pântanos enevoados ou tempestades em alto mar ... imagens que também ficam.

Vitor disse...

Não é possivel...nunca por aqui ter passado...gostei do que vi e ouvi...se não incomodar cá voltarei.

XR disse...

Mi casa es su casa, Vitor.
Já abri uma passagem até ao teu quiosque ;)

Metade da Laranja disse...

Exactamente, não se pode mesmo dizer ao coração o que sentir...
Às vezes era bom que assim fosse, mas se fosse dessa forma perderia o encanto e a surpresa :)