domingo, 1 de abril de 2012

Equinócio

Despes-me o olhar, e a tua sombra
aflora-me ao de leve os sentidos
tuas mãos contornam o espaço
que deixo no intervalo de nós
e um sussurro prende a alma
que quis fugir de madrugada...
Fecho os olhos, fecho a porta
fecho o segredo cá dentro
à espera que tragas a chuva
e faças florescer no meu peito
a Primavera ansiada.

2 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Olá amiga :)

Bem, isto está qualquer coisa! Não retiro nada. Contemplo apenas. está belo. Publique nos grupos de poesia do FB! O belo tem de ser partilhado.

Bjinho amigo

XR disse...

Obrigada pelo apreço e pelas palavras amigas, Daniel.
O texto já está publicado no "nosso grupo" :)
Beijinhos!