terça-feira, 13 de março de 2012

Lâmina

Como descrever uma saudade maior do que o corpo que a enovela e a alma que a embala?

Faltam-me as palavras para o fazer.
Faltam-me os gestos para o desenhar.
No bolso trago uma recordação - mas não chega para fazer com que doa menos.

A tua ausência é como uma lâmina a roçar-me os nervos nus.
Faltas-me.



Na raiz da saudade está algo - pessoa, coisa ou lugar - inesquecível.

2 comentários:

Gonçasonblog disse...

a ausência é sempre um latejar constante.

XR disse...

Também, Gonçalo... mas há dias em que é perfurante, a ponto de desejar um bisturi que corte à volta do buraco que ficou pois talvez assim deixe de doer.

Obrigada pela visita :)